Louis Cheskin foi um homem à frente de seu tempo. Psicólogo, nascido na Ucrânia, Cheskin trabalhou em pesquisa de mercado e fez numerosas contribuições significativas. Por exemplo, ajudou a converter a margarina em produto de sucesso, recomendando que a sua cor fosse alterada de branco para amarelo.

Outro de seus insights foi que as pessoas não podem deixar de transferir seus sentimentos sobre o design do produto ou da embalagem para o produto em si. Ele chamou esse processo de transferência de sensação. É semelhante ao efeito halo onde; impressões positivas iniciais provocadas por um bom design leva as pessoas a sentir que o produto ou serviço é positivo sob todos os aspectos. Por exemplo, os aspectos sensoriais de um design podem influenciar nossa percepção dele.

Essas mesmas premissas do efeito do design sob o emocional do ser humano se aplicam a design de sites, aplicativos e softwares:

Sites com design otimizado em relação às preferências do cérebro inspiram mais confiança e curtição. Em economias avançadas, onde se tornou mais difícil diferenciar os produtos com clareza apenas com base na qualidade ou em atributos funcionais, o design é cada vez mais importante como indutor de valor.

Também há algumas evidências de que as pessoas rejeitam rapidamente um site que não considerem atraente. Tantas são as escolhas disponíveis on-line e tão pequeno o esforço envolvido em clicar de um site para outro, que somos mais impacientes e rápidos ao deixar um site que não nos agrada. Mesmo que a página tenha baixa usabilidade, os usuários ainda gostarão dela se a acharem atraente. As primeiras impressões têm a ver principalmente com emoções engajadoras.

É desta forma que a neurociência aliada ao design pode aumentar o engajamento e a influência sobre os consumidores que acessam seu site ou software.

Fonte: Neuromarketing - Darre Bridger